LUTEOLINA

LUTEOLINA

 

Apresentação: Frasco com 60 cápsulas

Composição – cada cápsula contém:

Arachis hypogaea extrato seco .....................100mg

Nome científico: Arachis hypogaea L

Nome comum: Amendoim

Família: Fabaceae

Descrição: A luteolina é dos principais bioflavonóides cítricos. Possui excelente poder antioxidante, anti-inflamatório, e propriedades antitumorais.

Indicações e estudos clínicos:

Antioxidante:  Sua atividade antioxidante é dada através do seu mecanismo de ação que consiste em sequestrar espécies reativas de oxigênio e nitrogênio. Possui também potente atividade antinflamatória através da inibição do fator nuclear Kappa β (NFkβ) ,responsável pela sinalização de células imunes.

Exerce o seu efeito antioxidante, protegendo ou melhorando os antioxidantes endógenos, tais como glutationa-S-transferase (GST), glutatio-na redutase (GR), superóxido dismutase (SOD) e catalase (CAT). Inibe diretamente as enzimas que catalisam a oxidação dos componentes celulares. Por exemplo, suprime lipoxigenase, ciclo-oxigenase, e formação de malonaldeído ácido ascórbico-estimulada em lípidos do fígado.

Quela os íons de metais de transição responsáveis pela geração de ROS (Espécies reativas de oxigênio )e, portanto, inibir reação lipoxigenase, ou suprimir a oxidação metal-dependente.

Atividade estrogênica e anti-estrogênica

Pode funcionar como agentes anti-estrogênicos através da competição com estrogênios para a ligação com ERs (receptor de estrogênio). Outro mecanismo responsável pela atividade anti-estrogênica de luteolina deve-se ao fato de que este inibe a aromatase, cuja função é aromatizar os andróge-nos e produzir estrógenos. Além disso, luteolin reduz o nível de expressão ER através da transcrição e inibição do gene ER ou degradação do potenciador da proteína ER. Luteolina vem sendo estudado para se ligar a sítios nucleares do tipo II e de forma irreversível para competir pela ligação de estradiol nestes lo-cais. A etiologia da mama, próstata, ovário e câncer endometrial está associada com atividade estrogênica. Assim, o consumo de luteolin na dieta pode reduzir o risco destes cânceres através da regulação do estrógeno induzindo seus efeitos celulares. Com efeito, luteolin, bem como outros flavonóides, são capazes de ini-bir a síntese de DNA e proliferação de células epiteliais mamárias e células de câncer de mama induzidos por estrogênios, tanto in vitro como in vivo.

Atividade Antiinflamatória

Exerce seu efeito anti-inflamatório através da supressão da produção de citocinas e suas vias de transdução de sinal. Inibe LPS-estimulado e libertou TNFa e IL-6, que foi associado com o bloqueio de LPS induzida por ativação do fator nuclear kappa B (NF-kB) e mitogênio-cinase de proteína activada (MAPK).

Atividade Anti-Cancerígena

Luteolina é capaz de interferir com quase todas as características de células cancero-sas, principalmente através dos seguintes mecanismos:

Inibição Citocromo P450 e outras enzimas

Luteolina inibe citocromo P450 (CYP) 1, bem como enzimas da família, CYP1A1, CYP1A2, CYP1B1. Com isso ele causa ativação mutagênica de agentes cancerí-genos. Suprimindo estas enzimas, ele reduz a geração de ativos, tais como a-gentes mutagênicos benzo [a] pireno diol epóxido - metabólito cancerígeno ta-baco-específico.

Inibição da Proliferação Celular

A inibição da proliferação irrestrita, que é muitas vezes devido a perda de con-trole do ciclo celular, permite que as células cancerosas formem tumores. Tal como muitos outros flavonóides, luteolin é capaz de inibir a proliferação de célu-las cancerosas derivados de quase todos os tipos de cânceres, principalmente por meio de regulação do ciclo celular.

Eliminação de células transformadas por indução de apoptose

Duas vias de a-poptose, a via receptor de morte (extrínseca) e a via (intrínseco) mitocondrial, são estabelecidas durante a evolução. A via intrínseca envolve a incapacitação funcional das mitocôndrias por membros pró-apoptóticos da família BCL2, inclu-indo Bax, Bak e Bik, que causam a perda de potencial de mitocôndrias e libera-ção do citocromo c para ativar a caspase 9, que em sua vez, ativa caspases exe-cutoras (-3, -7 ) e destrói as proteínas celulares. A via extrínseca é iniciada pela ligação de citocinas da família TNF (TNFa, Fas e TNF-relacionada com indução de apoptose do ligando TRAIL,) com os seus receptores cognatos de morte, para ativar caspase 8, que por sua vez ativa caspases executor a jusante. Luteolin mata células cancerosas através da indução de morte celular por apoptose em muitos tipos de células cancerosas, incluindo o carcinoma epidermóide, leucemi-a, tumor pancreático, e hepatoma. Embora os mecanismos subjacentes de apoptose induzida de luteolin sejam complexos, eles podem ser generalizadas como quebrar a sobrevivência da célu-la e causar equilíbrio através da morte por apoptose, quer aumentando ou dimi-nuindo a sobrevivência de sinalização nas células cancerosas.

Anti-Angiogênese

A angiogênese é um processo que gera novos vasos sanguíneos, ela é crítica para o crescimento de tumor sólido e metástase. Crescendo em um microambiente hipóxico, as células tumorais secretam fatores angiogênicos, tais como o fator de crescimento endo-telial vascular (VEGF) e metaloproteases de matriz (MMP) para desencadear a angiogênese. Luteolin age neste contexto como um potente inibidor da angiogê-nese. Em um modelo murino de xenoenxerto de tumor, luteolin inibiu o cresci-mento tumoral e angiogênese de tumores xenográficos.

Anti-Metástase

Inibe a metástase de câncer por suprimir a produção e secreção de citocinas tais como TNFa e IL-6 que pode es-timular a migração de células do cancro e metástases. Inibe também diretamente atividade da enzima MMP ou hialuronidase para manter a barreira da neovascularização, que podem também contribuir pa-ra a metástase do câncer por supressão da célula.

Nefropatia Diabética

A nefropatia diabética é uma complicação a longo prazo do Diabetes. Muitas evi-dências experimentais sugerem que a hiperglicemia persistente gera espécies reativas de oxigênio (ROS) intracelulares que desempenham um papel importan-te na lesão renal induzida por glicose elevada. Luteolin - um flavonoide, de-monstrou possuir atividade antioxidante direta, ele causa mudanças na superó-xido dismutase (SOD), no conteúdo de malondialdeído (MDA) e expressão de heme oxigenase-1 (HO-1) de proteína.

Posologia: Tomar 1 cápsula 2 x ao dia

 

LUTEOLINA

R$ 228,90Preço

    SEGURANÇA

    E

    PRIVACIDADE

    Razão Social: ROTA Farmácia Magistral LTDA ME  •  CNPJ: 28.914.752/0001-87

    Farmacêutico Resp.: Cláudio Lhamas de Siqueira  •  CPF: 737.083.727-00  •  CRF-RJ: 9051 

    AE: 136179-9  •  AFE: 046747-0

    Objeto Licenciado: Manipular, Dispensar - Proibida reprodução parcial ou total.

    Licença Sanitária PMR: F/MA-005/2016  •  Certidão de Regularidade (Licença CRF-RJ): 5034

    End.: Rua Alfredo Whately, 151, Campos Elíseos - Resende - RJ.

    Email: contato@rotamagistral.com  •  Tel: (24) 3354-5111

    O conteúdo deste site é destinado a profissionais da área de saúde e não deve ser usado como fonte de automedicação, além de não substituir em hipótese alguma a consulta médica e ou a profissional habilitado na área de saúde; Consulte sempre profissionais habilitados legalmente, somente eles podem prescrever ou diagnosticar problemas de saúde. Medicamentos sujeitos a prescrição, somente serão comercializados mediante o envio de imagem prévia, tal como fax, e-mail e ou scanner do receituário; medicamentes sujeitos a controle especial, não podem ser comercializados pela via remota, exclusivamente serão comercializados com a apresentação da receita pessoalmente em uma de nossas lojas.

    O texto de todos os nossos produtos, são referentes a des­cri­ção técnica dos mesmos, não configurando pro­pa­gan­da ou estímulo a automedicação.

      •  •  •  •  •  •  •  • 

    DESDE

    1984

      •  •  •  •  •  •  •  • 

    • Facebook ícone social
    • Instagram ícone social